• 10-06-2019
  • A Importância da Fono para Idosos

    A Dificuldade de Deglutinação e a Fono para Idosos.

    Passamos por várias etapas em relação a nossa alimentação no decorrer da vida. Comemos de tudo, até que, com o decorrer do tempo nos posicionamos de forma seletiva para alguns grupos de alimentos, cada indivíduo norteado por suas preferências, gostos e até necessidades orgânicas.

    O idoso, mesmo com estilo de vida saudável com o processo do envelhecimento, ainda assim evolui para uma diminuição de força muscular para o processo de deglutição, e o quadro é potencializado considerando doenças associadas como nos casos de Demência, Parkinson, ou relacionadas ao aparelho respiratório, doenças neurológicas ou sequelas destas.

    Essas alterações na mastigação e deglutição comprometem a forma como o idoso se alimenta e a quantidade de alimentos que ele passa a ingerir, pois na terceira idade, tende a utilizar a sua dificuldade como forma de selecionar o tipo de consistência que ele quer receber ( a que possivelmente seja mais fácil de ser ingerido) e nem sempre é a adequada para a sua necessidade.

    Por ser um mecanismo complexo, que envolve a participação de órgãos, músculos, diversos nervos e que depende da integridade dos mesmos para ocorrer de forma coordenada e eficiente, a deglutição pode sofrer alterações decorrentes do envelhecimento.

    Assim, pode haver um comprometimento em uma ou mais fases do processo de deglutição: oral, faríngea e esofágica.

    As complicações decorrentes da disfagia (alterações de deglutição) envolvem riscos de desnutrição, desidratação, complicações respiratórias e pneumonia aspirativa.

    Em casos mais graves, podemos observar a obstrução mecânica, que é quando o alimento ao descer devagar, pára sobre as pregas vocais e impede a passagem de ar, com isso o paciente sofre de apneia, podendo evoluir até o óbito.

    Além de aspectos sociais e emocionais, já que o momento da refeição deve representar um momento prazeroso, de socialização e interação familiar.

    Quando este ato se torna um desafio, o idoso pode preferir se isolar, o que pode comprometer o envelhecimento saudável.

     

    Isolamento do Idoso

     

    Devemos estar atentos aos sintomas iniciais e que deverão despertar nosso interesse pela dificuldade apresentada de forma silenciosa por esse idoso:

    • Tosse durante ou depois da ingestão de alimentos;
    • Recusa alimentar para determinadas consistências;
    • Isolamento durante a ingestão de alimentos;
    • Quadros de Pneumonia de repetição;
    • Engasgos propriamente ditos durante as refeições.

    Idosos Engasgando

     

     

    O que Podemos Fazer Quando Identificamos essas Dificuldades?

     

    Quando o nosso familiar apresenta uma ou mais dificuldades citadas anteriormente, devemos encaminhá-lo para uma avaliação Fonoaudiológica, onde um profissional capacitado irá identificar em qual momento a musculatura do paciente está e adequar a dieta, para que ele receba o alimento necessário para sua nutrição e hidratação, sem ser exposto a riscos aspirativos.

    As alterações de dieta podem se dar quanto a sua consistência, variando de sólida a pastosa homogênea, e também, dependendo do grau de riscos, pode-se acrescentar espessante aos líquidos.

    A prioridade é que o paciente se alimente sem ser exposto a riscos aspirativos e que receba a quantidade necessária de nutrientes para se manter nutrido e hidratado de forma adequada.

    Em alguns momentos ainda, essa dieta pode ser de forma assistida, onde há a necessidade de um profissional para monitorar a qualidade e a quantidade em como esse idoso se alimenta.